Dex: um dos melhores que já joguei

Há um bom tempo publiquei um texto sobre este jogo. Após migrarmos o site para a plataforma WordPress e, também, depois de tantas modificações no layout (que ainda não está pronto!), a análise se perdeu. Acabei encontrando o texto antigo em uma serie de pastas obscuras do computador. Senti que o texto era ‘simples’ e acabava abordando de forma bem rasa a experiência que foi jogar esse game. Re-joguei e confirmei o fato: Dex é um jogo único e a análise anteriormente publicada não mostrava isso… desta vez, tentarei fazer direito XD


Detalhes

Dex é um jogo independente de ação, desenvolvido pela Dreadlocks Studios. Algumas características do game que considero bem importantes:

  • RPG
  • Ação
  • Gráficos Pixelados
  • Artes conceituais em 2D que compõem a trama
  • Sistema de RPG progressivo
  • Uma história incrível e não-linear

O game foi lançado por volta de 2015 e fez um relativo sucesso… colocando, finalmente, a desenvolvedora no mapa.

Acredito que esses detalhes “empobrecem” a análise, mas é bom você saber, a partir daqui, o que estou recomendando.

Pelo que sei, encontrei esse jogo em 2016 enquanto rolava a área de “Menores Preços” do Steam com a tag: ‘cyberpunk’ (mostrarei aqui no Mundo Indie que é surpreendente o que se encontra por 2 reais). Acredito que estava animado com a temática Cyberpunk pelo futuro título da CD Projekt Red (Cyberpunk 2077) e, provavelmente, também pelo desfecho do NerdCast de RPG, que possuía essa temática na época.

O jogo me conquistou pelo trailer e sabia que tinha que jogar. Aquelas cutscenes em 2D, os gráficos pixelados, ambientes incríveis e detalhados, ser um RPG não-linear, todos os diálogos dublados… não sei bem o quê, especificamente, me fisgou. Talvez a mistura de tudo isso.


Sobre o Game e História

Chega de enrolação… Neste jogo, você controla Dex, ou Blue, para os menos íntimos; uma personagem badass que está sendo perseguida por uma facção conhecida como “The Complex”. A motivação para tal perseguição é o que guia o jogo: Dex tem uma habilidade única para se conectar com o cyberespaço e com tudo a sua volta, hackeando e usufruindo desse mundo tecnológico futurista. Até aqui, nada incomum. O grande diferencial é que Dex não precisa de dispositivo nenhum para realizar tal conexão! É algo natural, algo que ela consegue fazer sem saber explicar… e, claro, algo que pode gerar muitos problemas.

Contaria mais, mas “quem é Dex” é o que move a história central do jogo e qualquer coisa além do que já escrevi seria spoiler.

A história do game (e de diversas sidequests) está baseada em conspirações governamentais e corporativas, todas muito bem escritas. Em grande parte do jogo você se sentirá em uma boa e velha investigação policial… quebrando códigos, decifrando e-mails e descobrindo corpos por aí. Use suas habilidades (que irá aprimorar com o tempo) para acessar diferentes lugares, se infiltrar em sistemas de segurança e convencer pessoas em diálogos.

Gameplay

Se fosse qualquer outro game, não criaria um tópico para falar disso. Estamos saturados de gameplays ‘comuns’ hoje. Jogos onde não temos nada de especial para destacar. Talvez seja uma barreira tecnológica momentânea… Enfim, não é bem o caso de Dex.

Óbvio, é um jogo indie e não tem nenhum milagre na jogabilidade. Mas quero falar dela aqui pois esse game consegue reunir e mesclar diversas outras gameplays e, mesmo assim, criar uma mistura homogênea e uma certa identidade:

  • Combate – os desenvolvedores decidiram abraçar os anos 90 e trazer um combate bem estilo beat em up, o que combina bastante com a progressão das habilidades dentro do game e com sua dinâmica: Os combates são rápidos, com possibilidades de hackear, imobilizar, bloquear e esquivar de ataques inimigos.
  • Hacking – para que Dex interaja com os dispositivos a sua volta, como comunicadores e implantes inimigos, computadores, câmeras, etc… ela precisa acessar uma realidade aumentada e hackea-los. Para isso, os desenvolvedores decidiram criar uma espécie de mini game dentro do jogo: hackear algo em Dex é como jogar um Alien Invader ou qualquer outro jogo do gênero, onde você controla uma nave e tem que esquivar de inimigos (vírus e defesas de firewall aqui) e atirar para diversos lados. É meio complicado explicar como isso funciona… imagem demonstrativa abaixo:
  • RPG – não vou me aprofundar muito nisso… O jogo possui um sistema de RPG básico, com história não-linear e uma árvore de habilidades para se aprimorar. Porém, o que quero destacar, são os implantes. Foi uma sacada inteligente dos desenvolvedores criar aprimoramentos que não podem ser obtidos por leveling, mas sim por dinheiro. Além de comprar armas, medicamentos, etc… o destino final do dinheiro conquistado em Dex é comprar aprimoramentos para o corpo em uma clínica clandestina. Com esses aprimoramentos, novas habilidades surgem, como pular mais alto, bloquear mais dano, enxergar o escuro, sobreviver a gases nocivos, dentre outros.

Enfim…

Não é muito simples concluir essa análise. Enquanto escrevo, fico me perguntando se mostrei a experiência que o jogo pode proporcionar. Sua história central, TODAS suas sidequests que são excelentes, sua gameplay divertidíssima… toda essa mistura e a temática fazem desse game um dos meus favoritos e um dos melhores que já joguei.

Pelo que lembro, paguei uns R$ 4 nesse jogo em promoção… pagaria R$ 50.

Que Kether o ajude…