Descobrindo o Salão do Automóvel 2018

Desacelere e veja como foi o maior evento automobilístico do país.

Entre os dias 8 e 18 de Novembro de 2018, aconteceu na cidade de São Paulo o Salão do Automóvel, que reuniu mais de 700 mil amantes de carros no São Paulo Expo, com direito a lançamentos e muita novidade no mundo motorizado.

Neste Caixa de Ideias, trarei o que teve de melhor, inusitado e também opiniões sobre o evento em geral, tais como minhas experiências e dicas para curtir melhor o evento que voltará apenas em 2020. Claro que a experiência irá variar dependendo do seu interesse, porém basta gostar de ver carro que o ingresso valerá a pena. Como sempre, vamos em partes para facilitar…

Ingresso, chegada e local do evento

O primeiro lote de ingressos normalmente é liberado para compras meses antes do evento. O preço um pouco salgado: R$ 72,00 a inteira em dias de semana, R$90,00 nos fins de semana e feriados; meia entrada R$36,00 e R$45,00, respectivamente. O primeiro dia o valor foi menor: R$50,00 a inteira e a meia R$25,00.

Como disse, o interesse de visitar o salão do automóvel é variado, porém pelo preço que é cobrado, é sempre bom aproveitar bastante, ou seja, não é um evento para ficar 2h, ver e ir embora.

    Sem maiores enrolações: NÃO VÁ DE CARRO! O caos reina no bairro todos os dias do evento. A fila para chegar é imensa, o estacionamento nada barato (cerca de R$45,00 para carros e R$25,00 para motos), se preferir parar em alguma rua, provavelmente dependerá da sorte para achar vaga nas ruas perto além da famosa comissão para os “guardadores de carro”, vulgo flanelinhas; estacionamentos ao redor costumam cobrar o mesmo preço.

O evento disponibilizou transfer gratuito partindo de duas estações: Jabaquara e Santos – Imigrantes, o que facilitou muito na ida, já na volta… A fila de espera é tão longa que decidi ir caminhando de volta até o metrô Jabaquara e cheguei antes de muita gente.

Se, por acaso, dinheiro não seja problema para você, espero que também não seja com paciência, pois ao chegar de carro enfrentei buzinas para todo lado e muita confusão.

       Na minha humilde opinião, o local do evento foi o melhor possível. O SP Expo foi reformado recentemente, sendo ampliado, arejado e muito mais organizado para entradas e saídas (exceto pela passarela duvidosa improvisada para pedestres na entrada… Confesso que fiquei meio apreensivo de andar naquilo na chuva).

Não tenho certeza se o padrão continuará para o evento do ano de 2020 ou então para o evento do Salão Duas Rodas que acontecerá no ano de 2019, porém se calhar de ser, será ótimo.

O Evento

Chega de falatório e vamos ao que interessa. O evento tinha horário de encerramento ótimo, às 22h, exceto no último dia que encerrou-se às 19h, isso garante aos que trabalham durante o dia uma oportunidade de visitar o evento à noite, não que o movimento seja menor, há pessoas entrando e saindo a todo momento.

Por se tratar de uma exposição de carros, os estandes eram enormes, porém com muito local para caminhar sem esbarrar em ninguém; este ponto me chocou muito positivamente, pois normalmente se espera que tal evento seja muito lotado e com pouco espaço para caminhar sem ter que se preocupar de pisar no pé de alguém, detalhe que visitei num sábado (pode ser que tenha relação com o fim de semana que coincidiu com o GP de Fórmula 1 do Brasil, portanto esteve menos lotado por fanáticos por automobilismo comparado ao fim de semana de encerramento do evento). Além disso, você ainda conta com bastante lugar para se sentar e descansar, muito raro hoje em dia nos eventos (sem contar os veículos que você pode entrar, mas explicarei sobre isso mais tarde).

Os estandes eram enormes

Eu consegui aproveitar melhor o evento mapeando o local e visitando um estande de cada vez num padrão para ter certeza que conseguiria ver tudo. E mesmo assim, não consegui, aliás a partir de um ponto você percebe que é mais do mesmo e o que vale é a intenção de conhecer a maior parte da feira e não ela por inteiro.

O público deste evento é o mais variado possível: para todas as idades. Muito comum pessoas acharem se tratar de um evento para vender carros; digo-lhes que não é, mas sim trata-se de um evento para conhecer e sentir os carros. Aconselho para pessoas que pensam em trocar a charanga e tem dúvida a respeito da marca que irá comprar. Ali, pôde-se entrar no carro e ver como se sente atrás do volante, o tamanho do porta malas, o conforto e os pequenos detalhes que te importam para avaliar o próximo possante como, por exemplo, a quantidade de porta-trecos, tamanho do porta luvas, qualidade do material, etc.

Achar vaga está cada vez mais complicado…

Além do público interessado em adquirir um automóvel, aconselho também para crianças! Pôde-se ver várias, pois muitas adoram carros diferentes; eu, por exemplo, sempre fui fã de veículos e adorava entrar em carros diferentes e olhar tudo: o formato do volante, a alavanca do câmbio, as luzes, o relógio digital (saudades Escort XR3 1989 com seu famigerado reloginho no teto).

Quem diria que conhecer como é abrir o porta-malas de diferentes carros seria divertido

Detalhe que nem todo carro estava disponível para entrar e fuçar, mas sim a maioria, inclusive as Mercedonas e BMW’s, porém não entrará numa Lamborghini para tirar aquela selfie e postar no grupo da família. Alguns estandes preferiram preservar a integridade de seus carros, entretanto na maioria foi possível abrir o porta-malas, entrar nos 4 cantos do carro e ver qual a sua peculiaridade. E não, você não ouvirá roncos de motores no evento.

Uma coisa que achei super inusitada é a “oportunidade” de entrar num carro com vários desconhecidos olhando o interior. Você se sente num Uber Pool só que o motorista muda a cada minuto… às vezes é uma criança, o que torna a situação muito mais divertida. Alguns veículos possuíam filas para entrar e ver “o quão diferente” é sentar no banco de um carro parado… Nada que valha a pena esperar.

Fuçar em alguns veículos é permitido

Hora para o break? Que tal pagar 15 reais numa raspadinha SEM LEITE CONDENSADO que nada mais é que gelo de um suco em pó de marca desconhecida??? Entenderam o recado, certo? Não comam em eventos como esse, aliás repetirei muito isso na seção de Eventos do Caixa de Ideias 😉

O que marcou o evento

Cada dia de evento alguma coisa mudava, pois existiam algumas exposições que tinham data certa para acontecer como, por exemplo, a feira de carros clássicos da Volkswagen ou alguma experiência diferente para se fazer.

O evento basicamente se baseia na exposição dos veículos, com algumas exceções em alguns estandes que contaram com experiências em VR totalmente boring como o da Volkswagen, que consistia em aprender a mecânica do veículo e te fazer de otário visto de fora apalpando um carro ou no estande da Petrobrás que teve uma competição muito legal que simulava troca de um pneu de fórmula 1: duas equipes com 3 pessoas cada disputaram os segundos para trocar um pneu; um retirava, outro colocava um novo e uma outra pessoa munida com uma pistola pneumática para prender e desprender o pneu. Ganhava quem fizer mais rápido.

 Desafio de troca de pneus

Outra coisa que marca bastante a visibilidade de cada marca são os lançamentos, que contam com um show pirotécnico de luzes e música para mostrar a novidade da marca. Entretanto, nenhuma conseguiu superar o lançamento do McLaren Senna, supercarro da marca inglesa que homenageia o grande ídolo brasileiro Ayrton Senna, com formas que lembram o carro de seu tricampeonato de 1991, o McLaren MP4/6, esse inclusive também estava lá! Uma única decepção: Fiquei esperando a contagem regressiva para o vídeo de lançamento com cenas do piloto e com a música alta e o carro girando numa plataforma, um homem e uma mulher totalmente produzidos e esbeltos com macacões de corrida entram no carro, fingem ajustar alguma coisa lá dentro; tudo isso para: NADA… Não ligaram o carro e não pudemos ouvir o barulho do motor, porém achei bastante divertido as expressões confusas das pessoas ao redor. Logo após, os dois modelos saíram do carro e ficaram na posição de holding para a próxima apresentação extremamente broxante.

Dentre lançamentos e carros para meros mortais, há aquilo que em minha opinião é o mais interessante e que mais gostei do Salão: Carros Conceito, do inglês Concept Cars. É mais fácil ao leitor olhar as imagens abaixo para entender do que se trata esse tipo de veículo, pois a minha descrição não irá passar a loucura que são essas ideias malucas das marcas para inovar a concepção futurista de como será os meios de transportes. Marcas como Toyota, Nissan, Renault, entre outras, não tiveram medo de abusar nas formas e no principal mote deste trabalho: o self driving car, ou seja, trabalharam bastante na ideia de que o carro que deverá fazer tudo para o motorista. Até houve um carro em formato de pão de hambúrguer com uma cor ridícula que possuía todos os bancos voltados ao centro, destinado para uma “reuniãozinha”, enquanto o carro leva seus passageiros sem nenhum tipo de interferência. Bom… Malucas ou não, essas ideias são interessantíssimas para entender qual o foco dos designers automotivos para o futuro (e pensar que todas essas ideias e ainda não é possível bloquear o celular e continuar ouvindo o vídeo do YouTube…).

Mas, voltando ao mundo real, o foco deste evento com toda certeza foram os carros elétricos. Estes que vieram para revolucionar o mercado, que apesar de existir alguns modelos já disponíveis, continua tímido demais no nosso mundo que move à base de ouro negro. Tivemos a oportunidade de entrar em 33 modelos híbridos ou elétricos, alguns já estão à venda no mercado brasileiro. Esse tipo de automóvel certamente será a melhor maneira de salvar o meio ambiente, tanto em poluição do ar, quanto sonora. Porém, infelizmente, o valor desse tipo de veículo ainda não é acessível a todos por conta do preço das baterias, porém é um fato que se economizará e muito em combustível.

Conclusão

  O Salão do Automóvel foi um evento muito bacana, inovador e com um público bem amplo. Seu molde sempre será semelhante às edições anteriores o que muda são os carros e ideias em si. A dica principal nesse tipo de evento é sempre ir em dias mais livres, mas na impossibilidade, vale a pena conhecer de qualquer maneira, sendo você pai/mãe, consumidor, fanático ou curioso.