Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald | Crítica

Segundo Harry Potter sem Harry Potter é divertido mas não supera o primeiro.

O mais novo filme do Harry Potter sem Harry Potter, Animais fantásticos: Crimes de Grindelwald, foi um sucesso de bilheteria e já arrecadou a bagatela de UU$ 439.7 MILHÕES até o último final de semana (25/11/2018). 

Focado agora em Grindelwald, o filme mostra com pouca ação e humor, mas com bastante diálogo a tentativa do vilão de transformar a relação entre Bruxos e Trouxas para sempre. 

O filme peca em explorar os temas abordados como a aceitação das diferenças e o relacionamento do Dumbledore com o Grindelwald, mas acerta na criação de expectativa para os próximos filmes ampliando o mundo apresentado e trazendo novos personagens. A atuação é boa e os personagens da franquia anterior, como o Dumbledore, são bem representados. 

Os efeitos especiais são lindos assim como a ambientação e figurinos, os animais apresentados desta vez não foram tão cativantes quanto do primeiro filme, mas é compensado com a qualidade das cenas de ação os envolvendo. 

No final ficou um gostinho de quero mais, o que indica que o filme agrada, mas parece abrir muitas coisas e resolver poucas, dando um sentimento de algo estar faltando. Muitas séries que continuam a história através de vários filmes sabem lidar com isso apresentando e resolvendo situações de maneira mais diluída como na própria série Harry Potter, o que faltou nesse filme.

Crimes de Grindelwald é um bom filme e vai agradar a todo fã da primeira parte, o carisma do personagem principal não deixa você se cansar no cinema apesar dos erros do longa.