São Paulo, O Guia Inicial

Primeiros passos para sobreviver na cidade mais movimentada do país.

Para aqueles que não conhecem, São Paulo é uma cidade extremamente movimentada e, portanto, a mais populosa do Brasil… Yada Yada Yada, não entrarei em detalhes geográficos, mas fique sabendo que é gente pra caramba! A cidade é conhecida pela vida noturna agitada (irei desmistificar sobre isso, aguardem e confiem), trânsito caótico, gastronomia variada e muita coisa para conhecer. Mas vamos por partes…

Esta é a primeira coluna do Caixa de Ideias: sugestões e recomendações de diversos assuntos e informações (opinativas) úteis que vem diretamente da minha cabeça. Ao decidir o primeiro tema, pensei “por que não introduzir a cidade que eu mais conheço, na qual sou residente e onde eu nasci?”. E é exatamente sobre isso que quero apresentar para aqueles que não conhecem São Paulo, ou aqueles que conhecem, mas não tanto.

Pretendo apresentar neste texto uma visão da cidade mais movimentada do Brasil pelos olhos de quem está inserido cotidianamente nela e um ponto de vista menos turístico e mais realista do local: Aqui trarei algumas dicas para sobreviver em São Paulo numa primeira viagem, seja a trabalho ou até mesmo para lazer. Entretanto, ainda irei abordar mais detalhadamente pontos turísticos numa outra ocasião, nessa reportagem trata-se apenas do básico do básico, sempre com um olhar crítico. Vamos lá!

Legenda: Uma Visão de São Paulo

A chegada

Sua primeira impressão desta cidade vai depender de qual meio você chegou aqui: Carro, ônibus, avião, bicicleta, etc. A única coisa em comum nesses meios de transportes é a noção da quantidade de pessoas; em todas essas ocasiões você enfrentará algum tipo de congestionamento, a não ser é claro que você venha de Mumbai, se este for o caso, São Paulo será fichinha para você.

Avião

Se você optou por avião, há duas possibilidades de aeroportos: Congonhas ou Guarulhos. Se você chegou no Aeroporto de Cumbica (Guarulhos), parabéns você acabou de ficar um bocado mais pobre, pois você ainda NÃO chegou em São Paulo… Se acalme, agora (2º Semestre de 2018) há um trem que conecta o centro de São Paulo ao aeroporto, localizado no município vizinho: A Linha 13-Jade, a qual não poderei avaliar pois ainda não tive o privilégio de usá-la (Ironia Alert: Ainda explicarei sobre os trens… aguarde). Porém, caso opte por táxi ou algo do gênero, prepare o bolso.

No caso de chegar pelo Aeroporto de Congonhas, você estará muito mais perto do coração de São Paulo e poderá aproveitar melhor sua viagem pela cidade… É claro que depois de algumas horinhas no trânsito dependendo do horário que chegar.

Ônibus

Não há muito o que falar de localização, pois eu espero que você tenha se planejado um pouco e tenha visto algum mapa antes de entrar nessa cidade que até os residentes mais experientes se perdem. O único detalhe é como irá sair da rodoviária; há algumas opções de rodoviárias e todas têm ligação com alguma estação de metrô, nada muito complicado de se entender, ainda explicarei sobre esse transporte extremamente útil em sua estada em São Paulo, porque existem alguns “segredos” para utilizar esse transporte sem se estressar.

Carro

Tudo vai depender de seu GPS e de qual caminho que ele irá te jogar. O segredo para vir para esta cidade de carro é realmente evitar os dias mais movimentados. Em feriados, a estrada para chegar normalmente é tranquila.

Locomoção

Carro

São Paulo cresceu durante as décadas desgovernadamente, portanto se perder de carro é algo que irá passar constantemente. Fique calmo que ao mesmo tempo que ruas e avenidas te levam para lugar nenhum, haverá ruas que surgem de lugar nenhum que te levam para outras ruas e avenidas. Portanto, use seu GPS. Eu recomendo o do Google Maps, pois ele indicará caminhos mais comuns e movimentados; o Waze desviará de qualquer tráfego e poderá te colocar em locais mais perigosos e/ou confusos para se dirigir.

OBS: Preste bastante atenção nos retrovisores por causa de motociclistas. Há muitos deles e acidentes são comumente visíveis, infelizmente.

Metrô

A melhor saída para se locomover são os metrôs que interligam pontos estratégicos que utilizarei em futuras colunas sobre os locais para se conhecer dentro de São Paulo. Baixe imagens do mapa do metrô, o mesmo encontra-se em todas as estações e dentro dos trens. O segredo de entender como usar o metrô é simples: use sempre as estações terminais como guia, pois são elas que aparecerão nas placas de indicação (isso parece óbvio para alguns, mas é comum pessoas não saberem como usar ou até ter medo, possuo relatos de um namorado de uma amiga que mora no interior do estado de São Paulo e não se arrisca a passar pela catraca do metrô com medo de se perder e nunca mais ver a luz do Sol).

Ah! A passagem pode parecer barata (hoje em dia R$4,00 podendo mudar a qualquer momento), mas você utilizará tanto esse transporte caso queira fazer tour pela cidade, que eu aconselho a sempre checar o valor do Uber caso o destino não seja tão longe assim.

Use e abuse das famosas “baldeações”, estações que ligam duas ou mais linhas, normalmente sem custo adicional. Elas são normalmente mais movimentadas, mas salvam vidas. Caso não entenda as placas ou o mapa, não fique acanhado! Pergunte para algum funcionário do metrô ou então para qualquer cidadão (que esteja com um rosto amigável… ah… paulistanos nem sempre são muito simpáticos nos dias de semana).

Caso não esteja em temporada de férias, onde a cidade esvazia exponencialmente e o transporte público é mais vazio, evite utilizar o metrô no período da manhã (das 6h até as 8h, 9h) ou então à partir de 17h até 19h30 (mais ou menos), essa é a famosa Hora do Rush (horário de pico), onde você se sente numa lata de sardinhas.

OBS: Algo que raramente é explicado para turistas é que, nas escadas rolantes das estações de metrô, a esquerda deve sempre ficar livre para aqueles que querem utilizar a escada como um meio de subir/descer uma escada mais velozmente, se quiser que a escada faça todo o trabalho para você, fique parado à direita.

OBS 2: Não aconselho a você segurar nos corrimões das escadas rolantes das estações (apenas uma mania de higiêne minha).

Mapa do Transporte Metropolitano:  http://www.metro.sp.gov.br/pdf/mapa-da-rede-metro.pdf


Legenda: Mais um Dia Normal no Metrô (hora do rush)
Trens

Os trens não são uma saída muito inteligente, a não ser que precise mesmo utilizá-los. Eles normalmente são lentos, cheios e demoram para chegar. Os trens são mais comuns nas áreas afastadas do centro, ligando portanto os extremos que rodeiam a cidade ou até mesmo para outro município que também faz parte da chamada Grande São Paulo.

Ônibus

Certamente não recomendo para iniciantes. As linhas de ônibus em São Paulo são confusas e complexas; os pontos não são estratégicos. No caso de turismo, eu recomendo pesquisar antes a rota muito bem e acompanhar o andamento da viagem pelo mapa com localizador. Não é incomum rotas mudarem, ruas com desvios ou até mesmo ônibus com o mesmo nome, porém rotas diferentes (Sim, sempre vejam o número do ônibus que é composto por números ou números e letras, ou letras e números… Nunca se sabe… Confiram várias vezes, pois não há lógica nesses prefixos!).

A pé

Boa sorte… Se locomover a pé vai depender muito do local onde deseja ir. São Paulo é composta por vales, morros, etc. Não é difícil se cansar andando. Ah… E há locais onde o acesso para pedestres é impraticável, sendo destinado apenas para veículos. São Paulo não foi pensada para pedestres.

Lembre-se, tome muito cuidado ao atravessar ruas. Existem locais sem o semáforo ou até mesmo sem faixa de pedestres! Absurdo? Pois é…

Estadia

Após sua longa jornada, é sempre bom descansar. Sim, recomendo chegar à noite em São Paulo para evitar maiores congestionamentos, caso não seja possível, chegue até às 16h. Mas existem diferenças no tipo de estadia? Bom… Existem, mas elas vão depender de que tipo de viagem está pensando em fazer.

Hotéis

A variedade de hotéis em São Paulo é grande, mas na maioria das vezes um tanto caro. Tudo irá depender da localização, caso vá desembolsar uma grana para ficar num hotel, que seja num bairro comercial de fácil acesso como, por exemplo, Bela Vista, Pinheiros, Itaim Bibi, Jardins, etc. Bairros nobres com diversos tipos de afazeres por perto, pois assim economizará em locomoção. Por que? O preço do hotel não será tão diferente quanto os de mesma categoria, porém em locais mais afastados.

Hostels

Essa é uma dica de ouro aqui no Caixa de Ideias! Aconselho muito a estadia em Hostel em São Paulo. Já conheci hostels na cidade e vou explicar o porquê: Primeiro de tudo, é uma economia a mais que estará fazendo e também é extremamente interessante por causa do contato social que terá com outros hóspedes.

Nesses locais, é comum encontrar pessoas de diversos países e culturas diferentes que certamente “irão propor um rolê” diferente e inusitado para se fazer numa sexta à noite, por exemplo. Conhecer pessoas é a chave de qualquer viagem bem sucedida. Além de serem uma companhia a mais, é sempre ótimo conhecer mais sobre uma pessoa e sobre experiências novas; elas podem conhecer lugares que você não conhecia ou pelo menos não chegou a pesquisar, engrandecendo ainda mais seu passeio.

Existem Hostels muito interessantes em São Paulo. Ainda abordarei, não nessa coluna, bairros e locais hipsters (bons e ruins) na cidade, porém já digo de antemão que os Hostels com um estilo “hipster” é uma boa jogada, muito pelo contato que terá com pessoas diferentes e outra que poderá ficar despreocupado quanto à segurança e limpeza.

Casa de Amigo(a)

Outra dica de ouro, pois seu amigo(a) sempre vai querer te mostrar o que conhece de legal pela cidade. Eu pelo menos adoro compartilhar locais que acho incríveis e indispensáveis para visitar, pois adoro o turismo inusitado, aquele que não está escrito nos grandes blogs, mas sim locais singelos e desconhecidos pela massa que fazem toda a diferença numa viagem.

A única coisa desfavorável é que há quem não goste de estar na casa de um conhecido, pois ou se sente desconfortável ou então não quer atrapalhar a rotina do amiguinho(a), por mais que ele(a) diga “Fique tranquilo(a), você já é de casa, já sabe onde fica a geladeira”.

Pontos Turísticos

Como foi dito, eu adoro visitar locais inesperados e desconhecidos, entretanto, viajar e não conhecer o principal da cidade é a mesma coisa que ir ao Egito e não visitar as Pirâmides de Gizé. Bom… Não pretendo detalhar os pontos turísticos nesse post, pretendo escrever um específico explicando melhor qual a melhor dinâmica (em minha opinião, sempre, é claro) para conhecer a maioria num menor tempo possível.

Podemos dividir os pontos turísticos em várias categorias como, por exemplo, históricos, bairros, monumentos (já adianto que não existem muitos em São Paulo, lamento), científicos, parques, culturais, etc etc etc. Vale ressaltar que não adianta visitar o MASP, por exemplo, e não gostar de arte, pois estará perdendo seu tempo valioso, aliás, em sua estadia você irá perceber o quanto o paulistano valoriza seu tempo.

Em São Paulo, por ser uma cidade gigantesca, os pontos turísticos podem estar mais espalhados – reitero a importância do metrô. Mas, em sua maioria, estão localizados no chamado centro expandido. Planeje bem como deseja passar seu tempo na cidade.

Clima

O clima de São Paulo é conhecido por ser maluco: De manhã faz frio, chega a tarde e esquenta do nada, às vezes chove nesse meio tempo e quando você acha que acabou, começa a esfriar de novo. Portanto, pesquise sobre a época que está vindo e prepare-se com roupas extras e um guarda-chuva.

Poluição

Sim, é verdade que São Paulo é muito poluído, infelizmente. Eu sinto total diferença quando saio da cidade e respiro o ar puro. As áreas verdes nessa cidade são pequenas: ok, existe o Parque do Ibirapuera, maior área verde da cidade e 8º maior parque no mundo! Mas isso comparado ao tamanho da cidade que vem crescendo anualmente tanto populacionalmente quanto em infraestrutura é relativamente insignificante.

Atento aos que possuem problemas respiratórios que tomem previsões para tal situação e aqueles que sentem-se incomodados com a péssima qualidade do ar na cidade.





São Paulo, a cidade poluída

Concluindo…

A cidade de São Paulo é uma cidade desorganizada e não atende com perfeição a demanda turística, aliás, creio que o prefeito nem saiba o significado dessa palavra. Com esse quadro no Caixa de Ideias, pretendo esclarecer todas as minúcias dessa cidade, desvendando-a de maneira incisiva naquilo que mais interessa ao conhecer um local novo, mostrando o que há de bom e ruim e não focando apenas no mar de rosas que o turismo tradicional normalmente se apoia.

Planeje todas suas viagens com antecedência e SEMPRE faça o roteiro de acordo com o que está disposto a ver e fazer, blogs apresentam sugestões, mas se quiser fazer a viagem do seu jeito, tudo bem, afinal o que importa é ter uma experiência única, sendo ela positiva ou negativa.

Venha conhecer São Paulo e aguarde por mais dicas detalhadas sobre cada aspecto dessa cidade maluca e diversificada aqui no Caixa de Ideias: Turismo.